займ онлайнкредиты онлайн
Close

Imaginem a cena: eu viro para meus pais e aviso que estou planejando viajar apenas dois meses após o nascimento do meu filho. “Tá louca menina? Como você vai deixar ele?” “Não vou. Tô falando de viajar com bebê”.  Silêncio… Caras de espanto…

Se essa cena já aconteceu com a minha família, que de certa forma já está habituada com as minhas “aventuras” com o Bruno ao redor do mundo, imagina como deve acontecer na casa de tantas mães por aí.

Ainda grávida do nosso pequeno Bernardo escrevi como as pessoas gostam de dar palpites na vida de uma futura mãe. Na época, escrevi “Mitos e frescuras sobre viajar grávida” sobre os muitos conselhos não solicitados que ouvi sobre o quanto seria perigoso viajar grávida e os cuidados que realmente são necessários, mas que não impedem nenhuma futura mamãe de fazer uma última viagem “pré-baby”.

viajar com bebe
Nós três em frente à Igreja Matriz de Santo Antônio, em Tiradentes (MG)

O retorno dos leitores foi maravilhoso e foram só as primeiras fotos do Bernardo em sua primeira viagem (com 2 meses de idade) entrarem no nosso Instagram @deixadefrescura que mais perguntas e dúvidas surgiram. Assim, vou contar nesse post um pouco de como foi nossa experiência de viajar com bebê com 2 meses.

Dicas para viajar com bebês

O “bom senso” é o pai de todas as viagens, pessoal. Não há uma proibição ou regra sobre a melhor idade para uma criança sair de casa e viajar, mas é preciso considerar alguns pontos antes de marcar várias viagens com o seu pequeno.

1 – Pense no tempo de deslocamento e meio de transporte usado

Essa ideia de que bebê não sabe o que tá acontecendo é besteira. Ele pode não saber que está se deslocando de uma cidade para outra, mas sente a pressão no ouvido quando o avião decola ou o “tremelicar” do carro ou ônibus na estrada.

Então a primeira coisa a se levar em consideração é se vale a pena expor uma criança, principalmente um bebê, a deslocamentos longos e complicados sem necessidade. Minha dica é começar com lugares mais próximos e com estrutura mínima (fácil de retornar, com sinal de telefone, hospitais, etc). Se puder, também opte por uma viagem de carro nos primeiros meses do bebê. Isso porque com o carro você pode fazer mais paradas durante o caminho e escolher melhor a estrada também.

viajar com bebê para praia em Arraial do Cabo
2 meses e já curtindo o final de tarde nas Prainhas do Pontal, em Arraial do Cabo.

Se a viagem precisar ser feita de avião, decole com a criança no seu colo e faça o mesmo durante o pouso. Algumas companhias aéreas oferecem um berço para colocar os bebês nos bancos, que são ótimos para serem usados durante o voo. Mas na hora da decolagem e do pouso não há nada mais seguro e reconfortante para o bebê do que o colo da mãe. Se puder amamentar nesse momento então, é melhor ainda pois alivia a pressão nos ouvidos dele.

Para uma viagem de carro, ouvi muito palpites de “Ah, você não prefere levar no colo?” e “Coitadinho, essa cadeirinha parece desconfortável, ele fica apertado…”. Ignore-os! Além de ser lei o uso da cadeirinha de carro, é mais seguro para o bebê no caso de uma batida. Só é preciso ficar atenta porque devido ao formato + estofado + capa, essas cadeirinhas tendem a ficar bem abafadas. Na primeira viagem Bernardo suou muito, mesmo estando bem frio para mim no carro.

viajar com bebe de 2 meses
Em Minas Gerais, na Casa Torta de Bichinho

2 – Pense em você (mãe da criança)

Outra coisa a ser considerada é a rotina da mãe da criança. Bebês muito novos mamam o dia inteiro (e a noite inteira!), as fraldas precisam ser trocadas com mais frequência e a mãe ainda não tá habituada com esse novo integrante da família e não sabe “o que é choro de quê”.

Viajar com bebê para a mãe ficar ainda mais exausta também não vale a pena. É preciso que os dois já estejam mais em sintonia, que a mãe já se sinta confiante em lidar com seu bebê sozinha (não que a ajuda do pai não seja necessária) e que o bebê já tenha um mínimo de rotina.

viajar com bebê
Em Paraty (RJ), conhecendo o Centro Histórico

3 – Escolha o destino adequado para viajar com bebê

Mas o que seria esse “destino adequado”? O melhor destino para viajar com bebês varia de acordo com a idade do pequeno. A grande maioria dos pediatras não libera o uso de protetor solar ou repelente antes dos 6 meses de idade devido a imaturidade da pele do recém-nascido. Também é nessa idade que  os bebês já começam a sentar e mergulhar e nadar está liberado.

Sendo assim, prefira fazer viagens mais do tipo “cidade” (nós visitamos as cidades históricas de Paraty e Tiradentes, por exemplo) do que do tipo “natureza e aventura”. E deixe as viagens de praia e trilha para os meses seguintes. Isso não é uma regra! É uma dica.

Nós mesmo, optamos por visitar Arraial do Cabo, um destino de praias, com o Bernardo com apenas 2 meses de idade (contaremos mais como foi nos próximos posts).

viajar com bebe
Primeira viagem do Bernardo! 2 meses completos e já fomos para Arraial do Cabo, a duas horas do Rio.

4 – Atenção ao fazer a mala do bebê

A mala do bebê foi onde eu tive mais dificuldade. Com um mês e meio de idade fui com meu bebê passar alguns dias na casa dos meus pais. Era uma “saída teste” mesmo. Levei uma mala bem enxuta e no segundo dia as roupas limpas já tinham se esgotado. E olha que eu estava num lugar em que eu podia lavar as roupas! Mesmo assim elas não secavam a tempo.

Quanto menor e mais novo for o bebê, mais ele baba e golfa. Na grande maioria dos casos é normal e faz parte da imaturidade do sistema digestivo dos pequenos. O meu filho mamava alucinadamente e logo depois cuspia metade. E aí não tinha babador ou fraldinha de boca suficientes… Body, camisa… também duravam minutos limpos.

viajar com bebe Praia do Pontal Arraial do Cabo
Praia do Pontal, em Arraial

Assim, a primeira dica para a mala do bebê é sobre roupas: Leve muitos babadores, fraldinhas de boca e sempre mais opções de camisa e body do que calças.

Fraldas e lenços umedecidos são fáceis de encontrar então se precisar economizar espaço na mala, leve pouco destes. Sabonete de banho (uso o líquido) eu levo em pequenos potes de viagem, assim como shampoo e condicionador para mim.

remédios para febre ou qualquer um que seu filho possa precisar tomar são os primeiros a ir para a bolsa. Na hora que o bebê começa a passar mal, é melhor ter logo o remédio ali do que precisar sair à procura de uma farmácia.

A grande maioria dos hotéis possui berços do tipo camping para os pequenos hóspedes. Já ouvi falar de gente que não gosta de usá-los, mas eu gosto. A única coisa é que sempre levo o cobertor dele (tem uns ótimos em formato de saco de dormir que você praticamente embala da criança. É bom porque você forram berço e ao mesmo tempo o bebê não consegue puxar o cobertor e cobrir o rosto.) e um travesseiro anti-refluxo (daqueles inclinadinhos).

E para levar o bebê de um lado para outro optamos por levar um sling ou canguru para conseguir passear com mais liberdade principalmente nas cidades históricas (com calçadas irregulares) e também é bom para cidades praianas (com muita areia). O Bernardo também ficou mais calmo por estar “abraçado” comigo ou com o Bruno o tempo todo. O nosso modelo é o Ergobaby 360.

viajar com bebe
O nosso modelo de canguru é o Ergobaby 360, que pode ser usado em 4 posições diferentes. Assim de frente é ótimo para o bebê ficar vendo o mundo. Ele adora!

5 – Dica de ouro: previna-se mas não preocupe-se a toa

Essa é a dica mais difícil para as novas mamães. Sim, eu sei por experiência própria! Muitas pessoas falaram que nós somos corajosos de fazer tantas coisas com nosso filho ainda bebê; que nós inspiramos, que querem ser “pais tranquilos” como nós somos.

A verdade é que nem sempre nós sentimos tanta segurança assim. Nós amamos viajar e queremos passar essa paixão para nosso filho. Por isso a decisão de colocar o pé na estrada com ele tão cedo foi um movimento natural. Houve momentos em que eu, principalmente, me arrependi de ir até um lugar X porque o acesso era mais complicado; outros em que voltamos mais dos passeios a noite para não prejudicar a hora do sono do bebê… Mas não nos arrependemos de viajar com ele em momento algum.

viajar com bebê
Nós no Parque Lage, no Rio de Janeiro, curtindo mais um final de tarde em família.

Não é “maldade viajar com bebê”, como algumas pessoas dizem. Basta se prevenir e planejar bem. Mostrar que há vida fora de casa é muito bom para o desenvolvimento dos pequenos e também para o bem estar dos pais. Afinal, há vida e muita viagem sim após a maternidade/paternidade.


Também virou mãe ou pai? Veja mais sobre viagem e bebês:

Mitos e frescuras sobre viajar grávida

Vai viajar? Reserve seu hotel pelo Booking!
banner-booking

Sobre o autor

Niteroiense de nascença, Botafogo de coração, Relações Públicas por formação, blogueira e viajante por paixão! Ama destinos históricos e visitar Museus em todo o mundo, mas não dispensa uma boa praia. Para ela, uma viagem não está completa sem apreciar (e bem) a culinária local e as lojas, claro.

  • Excelente post! Acompanho voces no instagram e amo quando o Bernardo aparece por la! Eh isso ai, tem que continuar vivendo a vida sem medo, somente fazendo as adaptacoes necessarias. No futuro ele vai agradecer e voces se sentirao satisfeitos e orgulhosos de terem comecado a apresentar o mundo pra ele tao cedo!

    • Jessica Veneravel

      Obrigada Bárbara! =D Ainda estamos aprendendo a nos virar com ele também, mas até os pequenos perrengues durante as viagens são bons para a gente já ficar esperto. Tomara que ele no futuro curta mesmo. bj!