Close

Então você decidiu ir para Veneza, esse lugar mágico e encantador que faz parte do imaginário de muita gente. As primeiras coisas que você vai precisar pesquisar são: as passagens e onde ficar em Veneza.

Veneza é uma cidade mais complicada para se planejar uma viagem do que Roma, por exemplo. Ela é uma ilha e a decisão de ficar ou não hospedado em Veneza em si ou fora da cidade é a primeira decisão a ser tomada. Para facilitar vamos falar dos prós e contras de se hospedar em cada lugar.

Mestre e Arredores – como é se hospedar fora de Veneza

A primeira dica que recebemos de uma amiga quando falamos que estávamos planejando nossa viagem para Veneza foi: fique hospedada em Mestre.

Mestre é a cidade que muitos turistas usam como base para visitar Veneza. O motivo é simples: o preço. O valor das estadias em Mestre são bem mais baratas do que em Veneza. Além disso, lá existem mais opções com hotéis mais refinados e até campings.

veneza mestre mapa onde se hospedar

Para melhor aproveitar a viagem, o ideal é procurar por um hotel próximo da estação de trem ou ônibus, mas tenha em mente que essa área é que nem regiões próximos a rodoviárias em todo mundo; ou seja, paredes e muros pichados e aparência de velho. A impressão é que é perigoso, mas nunca ouvi nenhum relato de que algo tenha acontecido. Já mais para “dentro” da cidade existem praças e áreas mais bonitinhas e aparência mais agradável. Dica: procure por hotéis que já ofereçam também o café da manhã para economizar tempo e você já poder partir para Veneza.

O baixo custo não é apenas em relação à estadia, mas também em restaurantes e mercados. Além de Mestre, as cidades de Campalto e Favaro Veneto também são usadas como base para Veneza.

Já falamos que a grande vantagem é o preço e agora vamos falar das desvantagens. A primeira é óbvia: Mestre não é Veneza. A cidade não chega nem perto da beleza de Veneza . Outra desvantagem é a vida noturna, que não é das mais agitadas.

É possível curtir a noite em Veneza e depois retornar até o continente, já que no verão os ônibus costumam rodar até mais tarde (1h).

A outra desvantagem é a perda de tempo no translado. Tudo bem que a travessia leva apenas 20 minutos, mas não há nada como você já acordar onde você queria estar.

veneza mestre trem estacao santa lucia
Trens na Estação de Santa Lucia, em Veneza. Foto: Shutterstock

Veneza – como é se hospedar na própria ilha

As vantagens de ser hospedar na própria Veneza são óbvias: a vista dos canais, a tranquilidade de poder curtir a cidade e voltar a hora que quiser para o hotel, andar até tarde pelas ruelas e realmente sentir como é viver na cidade.

apresentação musical em veneza na praca de san marco
Apresentação em um restaurante na Praça de San Marco
veneza praca de sao marco a noite
A Praça de San Marco a noite. Acha que isso é “cheio”? Então multiplique por 20 e acrescente os pombos. Isso é Praça de San Marco pela manhã.

É incrível como a atmosfera muda depois que cai a noite. Muita gente retorna para o continente e Veneza parece ficar mais leve, mais calma e com menos barulho. Passeamos com muito mais calma a noite, quando a maior parte das lojas estavam fechadas. Sem contar que foi muito mais agradável visitar a Praça de San Marco e passear à beira mar sem tantos barcos chegando ou pessoas disputando um lugar para tirar uma foto.

Os bacari são uma espécie de bar/buteco que funcionam mais ativamente à noite. Muitas vezes são apenas portas com mesas e cadeiras na rua. Poder curti-los é uma das vantagens de se hospedar em Veneza.

A grande desvantagem é o preço! Veneza é uma cidade cara. Cara para se hospedar e cara para comer. Grande parte dos restaurantes cobra taxa de serviço do garçom e taxa de “coberto” pela mesa usada! Mas existem também mercados e restaurantes apenas com comida para viagem que são baratos.

canais de veneza passeio gondola ponte dos suspiros
Turistas fazendo o famoso passeio de gôndola pelos canais de Veneza e passando pela Ponte dos Suspiros.

Para equilibrar o orçamento da viagem, que ainda continuaria em Malta, não fazíamos todas as refeições na rua e compramos muitas coisas no mercado.

Como tínhamos pouco tempo para passar em Veneza (apenas 3 dias) e perdemos já parte do primeiro dia numa confusão de ônibus errado e trem perdido, foi ótimo já nos hospedarmos na própria ilha.

Onde é melhor se hospedar?

Afinal, qual é o melhor lugar para se hospedar? Veneza ou Mestre? Isso vai depender do seu estilo de viagem, tempo disponível e, é claro, disposição. Se sua viagem é mais do tipo “relax” e você não quer se preocupar com muita coisa fique em Veneza.

veneza mestre estacao de trem santa lucia
A estação de trem de Santa Lucia em Veneza. A estação do Vaporeto fica bem em frente. Foto: Shutterstock

Se seu orçamento permitir, opte por se hospedar na própria Veneza e próximo às regiões de San Marco e Cannaregio, que são regiões mais centrais. A primeira é a região mais procurada pela proximidade com a Praça e com a Ponte dos Suspiros, dois dos principais pontos turísticos de Veneza.  Nós ficamos na região de Cannaregio, bem próximo a supermercados e à padarias e cafés. É uma região bem agradável para quem procura economizar um pouco, mas não abre mão de estar em Veneza.

Já se você estiver com o orçamento bem apertado e não se importar em ficar entrar e saindo das cidades, fique em Mestre.

A grande dica é: pesquise os hotéis nas duas cidades e com bastante antecedência. Veneza é uma das cidades que recebem muitos turistas durante todo o ano e mesmo para hotéis em Mestre a corrida por um bom hotel.


Vai vistar Veneza? Clique aqui é garanta seu desconto de 15% no desconto no seguro viagem com a Mondial Assintance.

Confira também sobre Veneza, Roma e Vaticano:

Canais de Veneza e o famoso Passeio de Gôndola

6 monumentos imperdíveis em Roma

Itália! Dicas para começar a planejar sua viagem de férias 

Vai viajar para Veneza? Confira as melhores opções de hotéis!
banner-booking

Sobre o autor

Niteroiense de nascença, Botafogo de coração, Relações Públicas por formação, blogueira e viajante por paixão! Ama destinos históricos e visitar Museus em todo o mundo, mas não dispensa uma boa praia. Para ela, uma viagem não está completa sem apreciar (e bem) a culinária local e as lojas, claro.