Close

Já perdi as contas de quantas vezes ouvi estrangeiros elogiarem a flexibilidade dos brasileiros e sua capacidade de se adaptar mesmo em culturas e situações totalmente diferentes das quais foram criados. A verdade é que mesmo sendo tão abertos a mudanças os brasileiros sempre levam consigo algumas maneiras de agir bem típicas do nosso país. É o famoso BR sendo BR… Depois de dois anos morando fora, resolvi listar alguns sinais e situações que mostram que você pode sair do Brasil, mas ele não sai de você.

1 – Você sempre está correndo e impaciente na rua

Essa semana estava eu na fila da Dunnes, uma das grandes redes de mercados de Dublin. Os mercados na Irlanda são em geral bem menores que os do Brasil e até o espaço dos caixas é bem pequeno. Tudo é pensado para comprar pequenas e por isso mesmo, rápidas. Assim deviam haver cerca de 8 posições de caixa naquele mercado, dos quais uns quatro estavam sendo ocupados.

Tudo estava normal até que uma senhora furou a fila e foi até uma das caixas. A primeira coisa que veio à minha cabeça foi: “Ela deve ter ido fazer alguma pergunta.” Até ai tudo estaria bem, só que a mulher na verdade foi visitar a sua amiga. As duas ficaram bons minutos conversando sobre roupa e as ótimas barganhas que a primeira conseguiu nas lojas.

Durante todo o tempo em que a fila literalmente parou de andar ninguém emitiu sequer um som de “Ow”, “Tchiu”, “Alooou” ou o nosso velho conhecido “Aeeê” para lembrar às duas amigas que botavam o papo em dia de que havia trabalho esperando. Todos esperaram pacientemente e nem sequer um olhar de reprovação a caixa recebeu de nenhum dos clientes. Tampouco um supervisou apareceu e chamou a sua atenção.

Sim, a conversa da caixa e sua amiga me atrasaram um pouco mas não me matou. Fiquei pensando em como sempre ando correndo como se estivesse atrasada sempre, quando nem estou. Xingar ou chamar a atenção da caixa no supermercado ia fazer a fila andar mais rápido? Talvez, mas isso só deixaria nós duas estressadas e ela não me atenderia mais tão atenciosamente.

2 – Você xinga o motorista após ele passar por cima de uma poça e te molhar

motorista poça de lama

Outro exemplo da nossa velha conhecida impaciência e até um pouco de intolerância com os próximos é quando você está andando na rua e um carro ou ônibus passa em cheio numa poça gigante e te molha por inteiro. Também em Dublin estava eu esperando o sinal fechar para atravessar a rua e, por isso estava bem na ponta da calçada. Foi ai que um ônibus passou por uma poça e jogou boa parte da água em todos que estavam ali parados.

A minha cabeça já estava a frente, esperando um bom e sonoro palavrão dos pedestres em direção ao motorista, mas não. Ninguém gritou, ninguém xingou. As pessoas ali só fizeram uma expressão de espanto e desagrado e só.

3 – Você usa guardanapo para absolutamente tudo

usar guardanapo para tudo

Os dois sinais descritos acima não exemplos dos, digamos, melhores comportamentos do brasileiro; já o uso do guardanapo faz parte dos cuidados com a higiene. No Brasil pegar qualquer comida (que não seja pipoca, pão de queijo ou biscoito) é considerado nojento. Já fora dele parece que o guardanapo é artigo de luxo! No Marrocos, o pão vendido na Praça ficava exposto e o cliente podia pegar e apertar todos até escolher um. Na Irlanda também as pessoas pegam comida com as mãos com a maior naturalidade. E não estamos falando de coisas pequenas, mas até de salsichas.

4 – Você escova o dente após todas as refeições

escovar os dentes

Um dos primeiros choques culturais que passamos em Dublin foi em relação ao nosso hábito de escovar os dentes após todas as refeições, incluindo após o almoço no trabalho. Quando começou a trabalhar o Bruno levou escova de dentes e pasta para o trabalho como todo mundo faz no Brasil. Mas ninguém faz isso na Irlanda.

Por algum tempo achei que era um mau-hábito irlandês não escovar os dentes durante o dia, mas vendo os vídeos do canal Amigo Gringo, onde o americano Seth fala dos costumes dos nova-iorquinos, descobri que eles também não tem esse hábito. Credo!

5 – Você aplaude quando alguém quebra algo num bar ou restaurante

bater palmas restaurante

Essa é típica daquela pessoa que também fala “esconde, esconde!” para o amigo quando um carro de polícia passa. É aquele tipo de atitude idiota, mas que sempre tem alguém que faz e alguém que ri! Confesso que sempre que ouço o barulho de algo caindo e quebrando dentro de um pub ou restaurante ainda espero alguém gritar “Êeeee!” ou aplaudir. Há alguns dias isso realmente aconteceu e tanto eu quanto o Bruno já pensamos: esse cara é brasileiro.

Fazer isso no Brasil pode ser considerado uma zoação normal, mas cuidado ao fazer isso em outro país. Você pode deixar a pessoa que derrubou a bendita bandeja bastante constrangida e sem necessidade.


Quer ver mais sobre morar fora do Brasil? Confira também:

4 verdades sobre ser brasileiro no exterior

Viajar ou morar fora do país?

4 ações que o Brasil poderia importar de outros países

Confira aqui as melhores opções de hospedagem!
banner-booking

Sobre o autor

Niteroiense de nascença, Botafogo de coração, Relações Públicas por formação, blogueira e viajante por paixão! Ama destinos históricos e visitar Museus em todo o mundo, mas não dispensa uma boa praia. Para ela, uma viagem não está completa sem apreciar (e bem) a culinária local e as lojas, claro.

  • Preciso concordar com tudo, embora eu não faça nada quando alguém derruba alguma coisa.
    Olha, quando eu morava na Alemanha, fui escovar os dentes depois do almoço no wc de um restaurante e a senhora que limpava me gritou muito em alemão (que eu não entendi) e não me deixou cuspir o creme dental na pia! Cuspi no vaso e sai sem enxaguar a boca! Aqui na Espanha também é visto com curiosidade uma pessoa que escova os dentes depois do almoço… E uma amiga que morava na França se incomodou pq na escola do filho eles não escovavam os dentinhos dele. A escola disse que só faria com um pedido por escrito de um médico ou dentista! O piazinho era o único na escola que escovava o dentes depois do episódio, pois o atestado foi levado.
    E isso de não xiar em fila eu sinto o mesmo. Aqui todo mundo fura fila, os caixas batem papo… o voo atrasa, ninguém diz nada!
    Minha categoria profissional no Brasil está em greve há 60 dias, e hoje uma colega daqui me parabenizou pela bravura dos colegas, dizendo que na Espanha as greves duram no máximo um dia!
    São muitas as diferenças mesmo. Mas eu me divirto observando-as. E você?

    • Jessica Veneravel

      Oi Poliana! Mentira que a mulher nem deixou vc enxaguar a boca! É péssimo admitir, mas aqui na Irlanda eu acabei perdendo um pouco o hábito de escovar direito os dentes no intervalo do almoço de tanto que todos achavam esquisito. Quando chego em casa, corro para escovar direito rsrs
      São realmente muitas diferenças. Algumas vezes pago uns micos como escrever um bilhete e mandar “beijos” no final. Uma vez fiz isso e ouvi isso é tão “brazilian”…

  • Sobre o guardanapo é engraçado mesmo, os gringos têm mania de pegar tudo com a mão. O que mais me incomoda em segurar com a mão é que a mão vai ficar toda gordurosa (se for um BigMac, por exemplo!), mas agora me acostumei com outras coisas, como os legumes crus, que aqui se come muito em aperitivo!
    Escovar os dentes é bem real, parece que é o brasileiro que escova muitas vezes por dias, e inclusive tenho amigos dentistas (no Brasil) que dizem que nem é preciso, que escovando os dentes 2X por dia jah é suficiente, pois mesmo escovando sempre teremos bactérias, mas a gente não gosta de ficar com mau halito ou sentir a comida… Vai depender do que as marcas de pasta de dente têm como metas de vendas, e o Brasil é um grande mercado!

    • Jessica Veneravel

      Oi Milena,
      Tenho uma amiga dentista que também me falou que, no passado, até era necessário escovar os dentes após cada refeição, mas hoje as pastas de dente são melhores e protegem mais. De qualquer forma, mesmo que seja só força de hábito, melhor errar escovando mais vezes do que por menos. rsrs
      Sobre o guardanapo, trabalhei um tempo num restaurante onde a dona mandava que as garçonetes colocassem apenas um guardanapo em cada lugar da mesa e proibia de repor os mesmos. Ela falava que um só era mais que suficiente. Imagina!