займ онлайнкредиты онлайн
Close

Paris! Não conheço uma única pessoa que não tenha a cidade luz em sua lista de desejos. Conosco não era diferente. Assim como Londres, sempre colocamos a capital francesa como uma das cidades que não podíamos deixar de conhecer nesse período em que estamos vivendo na Europa (Irlanda). E não nos decepcionamos. Paris é exatamente tudo o que dizem: desde moda, o jeito um pouco “superior” dos franceses, o cheiro de alguns lugares e é claro, os museus e monumentos magníficos. O mais conhecido de todos, a Torre Eiffel, foi durante muito tempo odiado pelos próprios franceses e hoje é a grande queridinha da cidade.

Paris-torre-eiffel-noite-vista-cidade-franca

Visitando a Torre

Ver de perto da Torre Eiffel pela primeira vez foi um grande choque: ela é muito maior do que imaginávamos. Mesmo sendo um símbolo tão explorado (todo mundo já viu a Torre Eiffel ao menos uma vez na vida em comerciais, fotos, vídeos, filmes, etc), conhecê-la de perto foi como vê-la pela primeira vez ainda mais a noite!

Sei que muitos podem não concordar, mas para mim, a Torre de manhã impressiona pela sua imponência e grandiosidade, mas é a noite que ela fica verdadeiramente bonita. Por volta das 17h no inverno (depende do horário em que anoitece na época do ano) as luzes em tom amarelado se acendem fazendo a Torre se destacar em qualquer que seja o local que você esteja em Paris. Quando o relógio bate “horas cheias” (ex:18h, 19h, etc.) ela ainda começa a brilhar! A iluminação durou até as 1h da manhã, mas foi o bastante para nos deixar com uma nova lembrança da Torre, uma menos industrial e mais romântica.

Paris-torre-eiffel-luzes-brilhando-noite-franca

A história da Torre Eiffel

Diferentemente do que muitos podem pensar, a Torre Eiffel não foi concebida para ser um símbolo de Paris. Na verdade, ela foi projetada e construída para ser temporária, uma atração da Exposição Mundial de 1900. O evento, que foi realizado de 15 de abril a 12 de novembro de 1900, tinha o objetivo de comemorar o centenário da Revolução e colocar a França em lugar de destaque no mundo como país moderno e industrializado e ainda referência em artes.

Paris-torre-eiffel-dia-visita-franca
Torre Eiffel em pleno inverno europeu. Conseguem ver a neblina no topo?

O governo francês abriu um concurso de projetos para uma torre, que seria o grande chamariz da Exposição. O dono do projeto vencedor foi Gustave Eiffel, um engenheiro com grande reputação em construir pontes gigantescas em ferro.

Assim que o projeto foi divulgado os parisienses, em especial os artistas simplesmente odiaram a Torre Eiffel (assim como aconteceria em 1989 com a pirâmide de cristal do Louvre). Para uma cidade até então feita de construções e monumentos clássicos como o Arco do Triunfo, a torre parecia uma obra inacabada e muito “industrial”. Quem pode culpá-los? Deve ter sido um choque de repente ter algo tão gigantesco figurando ao fundo da paisagem de todos os lugares de Paris. E “de repente” não é força de expressão. Enquanto a Catedral de Notre-Dame foi construída em quase 200 anos (dando bastante tempo para todos se acostumarem com a sua presença), a Torre Eiffel foi erguida em apenas 22 meses devido às técnicas de pré-fabricação de suas partes idealizadas por Eiffel.

Paris-torre-eiffel-construção-franca
Fotos de Théophile Féau. Entre 1887 e 1889, todo mês o fotógrafo registrava a construção da Torre Eiffel.

Como hoje já sabemos a Torre Eiffel foi um grande sucesso. Foi inaugurada em 21 de junho de 1889 e desde então não parou de atrair turistas de todo o mundo, incluindo artistas e celebridades. Dentre outras construções erguidas para a Exposição Mundial estão a Ponte Alexandre III, o Grand Palais e o Petit Palais.

Paris-torre-eiffel-vista-ponte-alexandre-dia-franca
Torre Eiffel e a Ponte Alexandre III

Como chegar?

Para chegar a Torre é muito fácil. De metrô, basta pegar a linha do RER e descer na estação Champ de Mars – Tour Eiffel. Atenção apenas porque o metro de Paris não tem áudio avisando qual é a próxima estação. Outra opção é pegar um ônibus. Existem várias linhas que fazem ponto perto da torre como o 89, 69 ou 82. Os ônibus tem letreiros indicando a próxima estação, o que facilita e muito para o visitante (principalmente aqueles que, como nós, não falam francês). E, é claro, sempre há a opção de ir à pé e nesse caso basta seguir a própria Torre, que salvo dias de neblina, é vista de quase toda a cidade.

Como subir na Torre?

Paris-torre-eiffel-vista-de-baixo-noite-iluminada-franca

Para os que não se contentam em apenas ver a Torre, é possível também subir até o topo de seus 299m. Até o segundo andar dá para ir de escadas; já para o topo só mesmo de elevador. O horário de funcionamento é das 9h30 às 23h, mas a bilheteria encerra as vendas às 21h30.

Preço dos ingressos

O ingresso para subir (e descer) de elevador até o topo da Torre Eiffel custa 15 euros. Já o que dá direito a subir apenas até o segundo andar custa 9 euros. E para os mais dispostos, é possível subir de escadas até o segundo andar por apenas 5 euros, o problema é que mesmo que você queira pagar o ingresso para descer de elevador, você precisa voltar pelas escadas.

Esses são os valores para a compra na bilheteria da própria Torre, para compra direta no site há um pequeno desconto. Vale lembrar que é possível “agendar” seu ingresso para um horário específico.

Paris-torre-eiffel-noite-vista-arco-do-triunfo-cidade-franca
Vista do topo do Arco do Triunfo

Infelizmente quando fomos o tempo na ajudou e com medo da neblina estragar nosso passeio, optamos por não subir na Torre. Não posso dizer que ficamos totalmente desapontados, pois ao subir no Arco do Triunfo percebemos também que ver a cidade do alto e não ver a Torre era como não estar em Paris.

visita-paris-torre-eiffel-noite


Veja também:

Arco do Triunfo e Champs Elysées

Inválidos – visitando o túmulo de Napoleão

Louvre – o museu palácio de Paris

Pensando em ir para Paris? Confira uma lista de hotéis pelo centro!
banner-booking

Sobre o autor

Niteroiense de nascença, Botafogo de coração, Relações Públicas por formação, blogueira e viajante por paixão! Ama destinos históricos e visitar Museus em todo o mundo, mas não dispensa uma boa praia. Para ela, uma viagem não está completa sem apreciar (e bem) a culinária local e as lojas, claro.