займ онлайнкредиты онлайн
Close

El Chorro é um pequeno vilarejo localizado em Málaga, no sul da Espanha na região de Andaluzia e a nossa ida para lá estava diretamente a uma atividade que queríamos fazer: a travessia do Caminito del Rey. Porém, chegando lá descobrimos que o pequeno vilarejo tinha muito mais a oferecer. Além de atividades como escalada, mountainbike e diversas trilhas, o cenário com lindas paisagens a beira do rio Guadalhorce com águas verdes tornam El Chorro um local único.

espanha-andaluzia-malaga-e lchorro-montanha-desfiladeiro-gaetanes-climbing

Sobre El Chorro

O pequeno vilarejo de El Chorro ganhou notoriedade após a construção da represa Conde de Guadalorce e com a visita do Rei Dom Afonso XIII em 1921, data da inauguração da represa.

Definitivamente El Chorro é um local para aventureiros. Se você não vai fazer o Caminito del Rey ou nenhuma outra atividade de aventura e natureza, esse não é um lugar para você. O pequeno vilarejo conta com poucas opções de hospedagem. Encontramos um hotel mais arrumado (La Garganta), dois campings com albergues e o local onde ficamos, situado a pouco mais de 1km do “centro” do vilarejo, a Finca la Campana.

espanha-andaluzia-malaga-el chorro-represa-mirante

Mercadinhos são um grande problema. A siesta deles parece ser infinita e não conseguimos encontrar o único mercado do vilarejo aberto. Nossa salvação era o mercadinho da Finca la Campana que tinha biscoitos, macarrão,etc. Mas na hora da fome mesmo buscávamos um dos quatro restaurantes da pequena vila. O La Garganta (restaurante que fazia parte do hotel de mesmo nome) era o mais sofisticado com pratos de 8 a 15 euros, já nos demais bares “de tapas” e pensões que encontramos no caminho era possível comer um tapa por 1,50, um prato principal por incríveis 5 e ainda tomar uma cervejinha por 1,50. Todos eles eram muito baratos, principalmente se compararmos com Dublin.

Como chegar

Pode-se chegar no vilarejo de carro ou de trem. Existem estações de trem por toda Andaluzia, portanto você consegue chegar em El Chorro saindo de Málaga, Sevilla ou Granada.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Fonte: Wikipedia

Resolvemos ir de carro e, nesse caso, a melhor opção para chegar em El chorro é saindo de Málaga, que está a 65 km da pequena vila. Uma outra opção, porém mais distante é partindo de Sevilla, que fica a 161 km de El Chorro.

Optamos por desembarcar em Málaga e partir de carro até o vilarejo. São aproximadamente 1 hora e 30 de viagem (contando os minutos em que ficamos perdidos). Com um GPS, não tem erro, mas como estávamos sem, fomos parando nos postos de gasolina e pedindo informação.

Em geral as estradas são muito boas e bem sinalizadas. Uma vez que você está na direção certa, não há como se perder. Pegamos a A-357 em direção a Cártama. Na altura de Pizarra entramos na A-343 e a partir daí foi só seguir as placas em direção a Álora. Após a pequena cidade de Álora começamos a encontrar placas para El Chorro e é só seguir com cuidado pela pequena estrada que leva até a vila.

Quando ir para El Chorro

A melhor data para visitar El Chorro vai depender do seu objetivo. Se for para escalar uma das mais de 1.400 vias, a melhor época é de janeiro a março, onde as temperaturas durante o dia ficam em torno de 18º. Para fazer o Caminito del Rey essa epoca pode ser uma boa, já que é baixa temporada, o aluguel de carros está num bom valor e você não terá dificuldade para encontrar hospedagem. Podendo até deixar para procurar um canto para dormir no dia em que chegar.

espanha-andaluzia-malaga-el chorro-mirante

Já no verão Europeu, nos meses de junho até agosto o local fica cheio de turistas. É meio difícil para nós imaginarmos aquele lugar tão calmo cheio de gente, mas descobrimos que El Chorro é um dos locais mais procurados da Espanha para as férias dos europeus. Eles fazem as águas da represa Conde de Guadalorce como uma espécie de praia e por lá ficam durante o dia.

espanha-andaluzia-malaga-el chorro-represa

Onde ficar

Não há muitas opções de hospedagem em El Chorro e caso você esteja pensando em ir no verão, poderá ter dificuldades em encontrar um lugar para dormir.

Nós ficamos hospedados num chalé no Finca la Campana e recomendo bastante o lugar para quem não quer ficar em albergues e ainda sim quer pagar barato num lugar melhor. Porém, há uma outra opção de hospedagem no local que é chamado de refugio, que nada mais é que um quarto com 7 camas. Pode ser uma boa opção para quem quer economizar ainda mais.

Porém, se você não está pensando em ir de carro para El Chorro, não fique no Finca la Campana. O local fica cerca de 1 km do centro da vila, sendo assim, distante dos restaurantes. Nesse caso a melhor opção pode ser La Garganta, em frente à estação de trem da vila (mas com quartos a partir de 60 euros), ou o que nós gostamos mais, o Albergue e Camping El Chorro (albergue por 8 euros  em baixa temporada e chalés a partir de 45 euros), localizado na direção oposta ao La Garganta há aproximadamente 15 min. de caminhada. Os preços do Finca la Campana são os mesmos do Camping El Chorro, a diferença está na localização.

O que fazer

Para quem gosta de natureza e aventura, El Chorro é um grande parque de diversões. Montanhas gigantescas e as águas verdes do Rio Guadalhorce compõem o cenário para grandes aventuras.

El Caminito del Rey

Um dos principais atrativos para os turistas aventureiros e o nosso objetivo em El Chorro. Conhecido como uma das travessias mais perigosas do mundo, o caminho do rei  é uma passagem cravada nas paredes dos desfiladeiros de Los Gaetanes.

O caminho foi feito para viabilizar o transporte de materiais, vigilância e manutenção do canal durante a construção da represa. As obras terminaram em 1905 e o caminho não foi derrubado. Porém, o abandono e a falta de manutenção fizeram com que a estrutura da estrada ficasse comprometida, causando até o desmoronamento de algumas partes.

espanha-andaluzia-malaga-el chorro-caminito-del-rey-travessia

Escalada

El Chorro é um dos mais famosos pontos de escalada da Europa. São mais de 1.400 vias divididas em setores que agradam desde iniciantes aos escaladores mais experientes.

No local em que ficamos (Finca la Campana), eles forneciam todo o equipamento para escalada num preço muito camarada, cerca de 28 euros para a dupla de escaladores. Além de todo o equipamento de segurança, eles ainda emprestavam o guia da região, com todos os setores, vias e graduações de cada uma.

Para os iniciantes, tanto o local em que ficamos hospedados quanto o Albergue e Camping El Chorro fornecem aulas de escalada. Nada mal começar a escalar num lugar desses, né?

Moutainbike

Além de escalada, o Parque Natural El Chorro também é o playground ideal para mountainbike. Lá você vai encontrar centenas de quilômetros de trilhas na floresta com  algumas descidas bem íngremes. Nós não chegamos a fazer esses passeios, mas é fácil encontrar aluguel de bikes com todo equipamento de segurança, além de montarem um caminho personalizado de acordo com o que você quer.

Caiaque

Indo em direção à represa Conde de Guadalorce, você irá passar por alguns lugares que fazem aluguel de caiaques. Mais uma atividade para os dias de calor, que não era no nosso caso. Fique atento pois só é possível passar pelos aluguéis de caiaques e chegar na represa de carro! Não existe nenhum tipo de transporte publico no vilarejo.

Mirantes

Cercado por montanhas, pelo rio Guadalorce e por diversas lagoas, os mirantes de El Chorro passam a ser uma atração especial. São diversos deles espalhados pelo parque, sendo um dos mais bonitos, o que dá vista para a famosa represa Conde de Guadalorce.

espanha-andaluzia-malaga-el chorro-mirante-represa

Ao contrário do que muitos pensam, El Chorro não se limita apenas ao Caminito del Rey. É possível passar alguns dias por lá tendo bastante atividade para fazer, minha vontade era de ficar a semana inteira, mas como tínhamos pouco tempo de viagem pela Espanha e ainda teríamos que conhecer Granada e Sevilla, acabamos ficamos apenas dois dias no vilarejo.


Vai viajar? Reserve seu hotel pelo Booking!
banner-booking

 

 

Sobre o autor

Carioca da gema, flamenguista, psicólogo e apaixonado por fotografia. Para ele, qualquer lugar é perfeito com céu azul, sol e uma cerveja gelada. Após dois anos morando em Dublin, é hora de retomar a vida no Brasil e desbravar cada cantinho do nosso país.