Close
templos-em-bangkok

Saindo do complexo do Grand Palace é possível ir a pé até o Wat Pho, mais conhecido como o templo do Buda Reclinado. Como falamos no post anterior, os templos são na verdade complexos com diferentes construções e inúmeras imagens. Estima-se que no Wat Pho existam mais de mil imagens de Buda de todos os tipos e tamanhos.

Wat Pho, Buddhas

Wat Pho

A entrada do Wat Pho custa 100baht por pessoa e o visitante tem direito a uma garrafa de água (detalhe importante em um lugar com calor de 38º mas sem nenhuma brisa).

Embora todo o complexo seja muito bonito, o Buda Reclinado merece a fama que tem. A estátua tem 15m de altura e 48m de comprimento. Os pés tem acabamento em madre-pérola com diversos inscritos budistas.

templo, Wat Pho, Reclining, Buddha
Muito calor!!!

templo, Wat Pho, Reclining, Buddha, bkk

Wat-Pho-orações
Tailandeses fazendo suas orações
templo, Wat Pho, Reclining, Buddha,thailand
Wat Pho

Para entrar no local da estátua, como em todos os templos, é preciso retirar os sapatos. Aqui, em vez de colocá-los em uma estante ou deixá-los na entrada como acontece no Grand Palace, você os leva em uma bolsa que é entregue na entrada e você a devolve na saída. Dessa forma cria-se um fluxo único de pessoas dentro do local.

Além dessa imagem, há também pequenos santuários para os budistas fazerem suas orações. Nas costas do Buda Reclinado existem 108 coletores de bronze, onde os visitantes podem jogar moedas. A crença diz que esse ato traz boa sorte, além de ajudar os monges a manter o templo. Se você esquecer suas moedas no hotel não há problema. Na verdade, pouca gente leva suas moedas. Atrás da imagem, há um “posto” onde você “doa” 20baht e recebe uma pequena tijela com moedas para que você possa cumprir o ritual assim como é feito há séculos.

Golpe do Black Buddha

Saindo do Wat Pho procuramos nos informar sobre a direção do Amulet Market, mercado popular de imagens e amuletos budistas, com os comerciantes que cercam o templo. Erro! Sempre se informe no hotel de tudo. Já contamos aqui a primeira tentativa de golpe que sofremos; agora vamos a segunda.

A senhora que vendia água não sabia falar inglês e chamou um senhor para ajudá-la. Esse senhor foi muito simpático e nos deu a direção, mas falou que o mercado funcionava até as 18h e que poderíamos ir a outro lugar antes (a essa altura já eram 12h/12h30). O senhor nos falou que devido ao feriado do Visakha Bucha o templo do “Black Buddha” estaria aberto. Tratava-se de um templo que só abre uma vez ao ano em homenagem ao dia do nascimento e morte de Buda.

Ele nos falou que o melhor era pegar um tuk tuk, mas somente os de placa e adesivos amarelos, porque esses eram os sérios. Engraçado como depois de ler tanto sobre os golpes de “feriado budista” nós ainda caímos nessa. O pior é que o fato de realmente ser um feriado e da pessoa que estava falando conosco ser um senhor sem nenhum vínculo aparente com os motoristas de tuk tuks, não nos fez questionar em nenhum momento a história.

Combinamos 40bath para a corrida do tuk tuk até o templo do Black Buddha, depois para o Wat Saket, fechando com o Amulet Market. Confesso que foi bem divertido o passeio de tuk tuk. Apesar de todos os golpes envolvendo os tuk tuks, quem vai a Bangkok tem que experimentar andar num desses ao menos uma vez.

tailandia, tuk-tuk

tailandia-tuk-tuk-ddf

Em uns 15 minutos chegamos ao “Templo do Black Buddha”. Por incrível que pareça foi um dos templos mais bonitos que conhecemos. As imagens eram lindas e o fato de não estar lotado também contribuiu. No templo encontramos um senhor que era seringueiro de uma cidade ao sul de Bangkok. Ele estava com seu filho e nos contou que vai a Bangkok uma vez ao ano (no dia do Visakha Bucha) para fazer um pedido ao Black Budha (que por sinal, era dourado).

Black-buda-Smiling-Buddha-golpe

Ele começou a falar para visitarmos as lojas de jóias e ternos, falamos que não. Foi ele que nos falou que os motoristas de tuk tuk ganham um cupom que pode ser trocado por gasolina a cada vez que levam turistas em determinadas lojas.

Voltamos para o tuk tuk e não deu outra, o motorista nos levou a uma dessas lojas. Notamos o golpe, mas combinamos com o motorista entrar e sair da loja para que ele ganhasse o cupom; em contrapartida ele manteria o preço original de 40bath pela corrida (alguns cobravam 200bath por uma corrida simples).

Eles nos deixou no Amulet Market como prometido e mesmo com a tentativa de golpe com as lojas, ainda acreditávamos que tínhamos ido ao verdadeiro templo do Black Buddha. Afinal, era impossível todas as pessoas envolvidas – o senhor do Wat Pho, o seringueiro que estava no templo e os tuk tuks – fazerem parte de uma mesma “quadrilha”. A conclusão que chegamos é que infelizmente, não se trata de algo organizado, mas de um pensamento geral na maior parte da população de Bangkok de que o visitante tem que gastar em seu país. No hotel mesmo a primeira coisa que nos perguntaram foi se tínhamos ido a Bangkok para fazer compras (Shop? Shop?). Será que ninguém vai conhecer mais a cultura de um país?

No final de tudo não perdemos tanto tempo e o passeio de tuk tuk e mesmo a visita ao templo foi interessante. No entanto, fica a dica para todos os que pretendem visitar Bangkok: perguntem tudo no hotel antes de sair e se precisarem de alguma informação na rua procure um oficial ou mesmo um estrangeiro.

Por essas e outras que afirmamos que Bangkok é um lugar para se ter a melhor e a pior impressão da Tailândia. Os templos são imperdíveis, mas infelizmente é difícil saber em que confiar. Mesmo assim, vale a pena visitar até porque Bangkok não tem só templos. É também conhecida como uma cidade de misturas. Exemplo vivo é a agitada Khao San Road, tema do nosso próximo post.

Confira mais fotos do local:

Wat-Pho-interior-do-templo

Wat-Pho-interior-do-templo-ddf

Wat-Pho-templos


Quer conhecer Bangkok? Confira as melhores opções de hospedagem!
banner-booking

Sobre o autor

Carioca da gema, flamenguista, psicólogo e apaixonado por fotografia. Para ele, qualquer lugar é perfeito com céu azul, sol e uma cerveja gelada. Após dois anos morando em Dublin, é hora de retomar a vida no Brasil e desbravar cada cantinho do nosso país.

  • Pingback: Templos e golpes de Bangkok – Grand Palace - Deixa de Frescura!()

  • Vanessa Souto Maior

    Acabamos de cair!!! Pena que só lemos agora seu post… Kkkk mas para nossa sorte o tuk tuk quebrou no meio do caminho!!! Bjos

    • Hahahahaha! Não sei se é muito azar muita sorte o tuktuk ter quebrado! =)

  • Carol Rodrigues

    “ainda acreditávamos que tínhamos ido ao verdadeiro templo do Black Buddha…”

    Então na verdade o templo que foram não era este?

    • Jessica Veneravel

      Oi Carol! Fomos a um templo bem bonito, mas diferentes pessoas foram a diferentes “templos do Black Budha”. É difícil saber ao certo qual é o verdadeiro (e se existe um). Abraços!

  • Sandrelli

    Adorei as dicas!!!Poderia me informa a direção deste templo estou indo em outubro e gostaria muito conhecer. Obrigada.

    • Olá Sandrelli, fica complicado explicar onde fica, mas procure no google maps que você encontra a localização exata do templo =)