Close

Assim como grande parte da Tailândia, a Khao San Road ganhou notoriedade mundial após o lançamento do filme A Praia (The Beach), em 2002. Logo no início do longa o personagem de Leonardo Di Caprio circula pelos becos da rua, bebe sangue de cobra e se hospeda num albergue de condições duvidosas.

Sobre o sangue de cobra nós não sabemos, mas a Khao San é exatamente do jeito que o filme mostra nesses poucos minutos: uma mistura de restaurantes, casas de cambio, lojas com objetos e roupas de que você não precisa, mas adora comprar e albergues baratos.

khao-san-road-www.bangkok.com
Khao San Road – Imagem retirada do site bangkok.com

A praticidade de encontrar diferentes serviços em um mesmo lugar fez da Khao San um verdadeiro ponto de encontro de mochileiros de todo o mundo. Você pode comer insetos em uma barraquinha e logo ao lado encomendar um terno sob medida; fumar narguilé em um restaurante e deixar suas roupas para lavar ao lado pela bagatela de 25baht (R$1,79) por kg!

Os viajantes mais radicais alugam quartos nos inúmeros albergues que existem na rua. Isso é aconselhável se você quiser economizar e não ligar muito para barulho e privacidade. Além disso, antes de viajarmos lemos vários relatos de outros blogueiros falando sobre a falta de higiene de alguns quartos. Pensando nisso começamos a pesquisar e descobrimos que é possível encontrar nas ruas próximas, opções de estadia barata (principalmente se compararmos com os preços de hospedagem no Brasil) e mais tranquila. Como falamos em Templos e golpes de Bangkok – Grand Palace, nas duas vezes em que estivemos em Bangkok ficamos em hotéis na Phra Arthit (apenas 5 minutos a pé da Khao San).

O dia na Khao San Road

Passear pela Kao San e suas ruas paralelas pela manhã é como visitar um grande comércio informal. Algo como o Saara (no Rio de Janeiro) ou a 5 de março (em São Paulo), mas com 10 vezes menos gente. É tranquilo observar os tuk tuks, as blusas com dizerem engraçados e as lojas que vendem desde cuecas a malas de viagem.

A dica é ir pela manhã até as lojas de passeios turísticos. São inúmeras e nos lugares mais improváveis. É importante tirar uma hora para fazer uma pesquisa de preços em cada uma. Apesar de todas venderem basicamente os mesmos pacotes, essa pesquisa pode te economizar muitos bahts.

Khao-san-road-bangkok-bkk-mochileiros

Khao-san-road-bangkok-bkk-mochileiros2

Khao-san-road-bangkok-bkk-mochileiros-03

Khao-san-road-bangkok-bkk-mochileiros04

A maioria das lojas funcionam das 9h às 21h, mas a noite os lugares que oferecem esses passeios ficam muito cheios, o que dificulta a negociação pelo menor preço. Outra dica para a negociação é sempre levar dinheiro vivo. Além da grande maioria dos estabelecimentos não aceitarem cartão de crédito, é possível conseguir grandes descontos com a famosa frase “só tenho isso aqui comigo”.

Se você quiser comprar algo e realmente não tiver 1baht no bolso, não é problema! É comum em toda a Tailândia (principalmente na capital e no sul do país) encontrar casas de câmbio que funcionam em pequenos quiosques, onde é possível trocar dollares a praticamente qualquer hora do dia. Embora existam diferentes empresas de câmbio, todas operam com a mesma cotação.

A noite na Khao San Road

Se pela manhã a Kao San quase lembra uma praça de tanta calmaria, a noite ela ganha vida. A partir das 18h começam a chegar as primeiras barracas de comidas, os vendedores ambulantes, os artistas de rua e todos os viajantes que estão em Bangkok.

A rua fica lotada de gente indo e vindo. É preciso disputar espaço entre barracas de pad thai e milho frito e araras de roupas. Por ser reduto de viajantes principalmente europeus, a maioria das lojas oferece roupas voltadas para esse público. São muitas blusas com cores como verde limão e laranja neon, shorts jeans femininos para todos os tamanhos e gostos e demais produtos do tipo “turistão”.

Apesar disso, nesse horário também é possível encontrar os serviços mais interessantes e a preços bem baratos. Existia oferta de tranças nos cabelos; massagens, onde o atendimento era feito a céu aberto e até a oferta de documentos de identidade e diplomas universitários falsos. Tudo a preços bem baixos. Fizemos uma caricatura por apenas 200baht (R$15). O artista nem loja tinha, fazia o desenho sentado em meio ao agito da rua.

É nesse horário também que chegam as barraquinhas com pad thai, milho frito, kebab e, é claro, e os famosos petiscos de escorpiões, larvas e besouros. A curiosidade por esses “petiscos” é tanta entre os turistas que os vendedores cobram até para “permitir” uma foto com os bichinhos.

6901382945_fc5bf63402_b-moon-beam-post.blogspot.com
Imagem retirada do site moon-beam-post.blogspot.com

Massage-des-pieds-à-Khao-San-Road-www.delsoko.fr

Para os mais tradicionais, a Khao San é repleta de bares e até de lanchonetes famosas como Subway e Mc Donald´s. Mas nem é preciso recorrer a essas lanchonetes se o visitante não quiser comer comida típica. Os cardápios de todos os bares trazem opções para gostos de todo o mundo como macarrão, pizza e até hambúrguer. Além da comida local, vale experimentar versão deles para esses pratos.

A noite também é o momento em que os motoristas de tuk tuk mais abordam os turistas. Se de manhã o foco é tentar levar o visitante até os templos mais longes, à noite eles oferecem os famosos shows de pompoarismos, ou como são oferecidos lá, “ping-pong show”. A oferta é bem ostensiva, muitas vezes os motoristas puxam a pessoa, abraçam e até mostram um “cardápio” com as opções de show. Como fomos a um desses shows em Phuket, ignoramos as ofertas.

A Khao San é uma rua de surpresas. Você nem sempre sabe o que vai encontrar ou se vai gostar do que vai encontrar, mas mesmo assim é um ponto único no mundo. Destino imperdível, seja qual for o seu objetivo de viagem.


Quer conhecer Bangkok? Confira as melhores opções de hospedagem!
banner-booking

Sobre o autor

Niteroiense de nascença, Botafogo de coração, Relações Públicas por formação, blogueira e viajante por paixão! Ama destinos históricos e visitar Museus em todo o mundo, mas não dispensa uma boa praia. Para ela, uma viagem não está completa sem apreciar (e bem) a culinária local e as lojas, claro.