займ онлайнкредиты онлайн
Close

Temporada de férias no Rio de Janeiro é sinônimo de praias mega lotadas. Graças a Deus vivemos numa cidade que literalmente abraça todos as tribos e todos os gostos! Somente no Parque Nacional da Tijuca é possível encontrar mirantes, cachoeiras e até construções históricas.

Aqui temos 10 opções de trilhas para quem quer mais do que aproveitar a praia nessas férias:

Parque da Catacumba

A trilha que começa no Parque da Catacumba, perto da Lagoa Rodrigo de Freitas, leva ao mirante do Morro do Sacopã. É uma caminhada leve, que dura apenas 15 minutos e só tem 130 metros de altitude. A trilha passa por uma floresta que está sendo regenerada. O parque ainda oferece atividades como arvorismo, tirolesa e rapel.

Trilha da cachoeira das Almas (circuito da Floresta da Tijuca)

Caminhada em um circuito que passa por vários pontos da Floresta da Tijuca até chegar à Cachoeira das Almas. O caminho tem rios, floresta fechada, formações rochosas e muitas palmeiras de palmito Jussara. Ao fim, chega-se à Cachoeira das Almas, único lugar onde o banho é permitido. O percurso pode ser iniciado pelo portão de entrada da Floresta da Tijuca, indo em direção à Cascata Taunay e à Capela Mayrink, passando pelo Centro de Visitantes, onde é recomendável uma parada para apreciar a exposição permanente que conta a história completa do local.

Circuito das Grutas

O Circuito das Grutas, na Floresta da Tijuca, deve ser feito com guias especializados. Existe um circuito que passa por três grutas da floresta, que fazem parte do sistema espeleológico do Morro do Archer. Ela pode ser iniciada da Praça Afonso Vizeu, com caminhada de aproximadamente uma hora e meia até a Praça da Raiz, onde fica a primeira gruta, que deve ser explorada com uso de lanternas e também técnicas de escalada. Desse ponto podem ser visitadas as grutas dos Morcegos, do Belmiro e do Archer.

Parque Lage/Corcovado

Localizado no Jardim Botânico, o Parque Lage já foi sede da Fazenda Rodrigo de Freitas e se tornou área pública em 1922. É considerada Reserva da Biosfera pela Unesco. Com floresta nativa exuberante, o parque abriga várias trilhas e, entre elas, uma que leva ao Morro do Corcovado, onde fica o Cristo Redentor. A trilha tem grau de dificuldade pesado e exige esforço físico, já que são duas horas e meia só de subida, num total de 600 metros. O ideal é que a trilha seja feita com um guia. Ao final, há um mirante ao lado dos trilhos do Trem do Corcovado, com vista para a cidade, e é possível comprar bilhete para a entrar no Cristo.

Pico da Tijuca

Localizado na porção central da Floresta da Tijuca, o pico da Tijuca é a montanha mais alta do parque, com 1.022 metros de altura. Para chegar ao seu topo, é preciso subir uma escadaria de 117 degraus talhados na pedra, construída no início do século XX para uma visita do rei Alberto da Bélgica. Do topo é possível apreciar as zonas Sul e Norte da cidade, as praias, a Pedra da Gávea, o estádio do Maracanã, a Baía da Guanabara, além das cidades serranas e Niterói. A trilha tem grau de dificuldade médio e exige bastante esforço físico.

Pico do Caeté

A trilha começa no Parque Municipal Ecológico da Prainha, na Zona Oeste, e segue por dentro da Mata Atlântica até atingir o cume, onde há um mirante com vista para toda a região da Barra da Tijuca, Maciço da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e a vista da praia. É uma trilha leve, apesar de seguir por um pequeno trecho de desnível, onde é possível observar diversos exemplares de plantas e animais. Um banho de mar após a trilha é ideal para encerrar bem o passeio.

Morro da Urca

A caminhada começa na Pista Cláudio Coutinho, que mede 1,5 km e contorna o sopé do Morro da Urca. Nessa trilha, se a caminhada começar bem cedo, é possível observar pássaros como o tiê sangue, o gavião casaca de couro, e o bem-te-vi, além de saguis-estrela. A trilha começa íngreme, mas as ladeiras se alternam com trechos mais planos. São cerca de 40 minutos de caminhada até o platô, onde podem ser apreciados a baía da Guanabara e o centro do Rio. Por esse caminho, é possível seguir em direção ao Morro da Urca, onde fica o terminal dos bondinhos do Pão de Açúcar. Desse ponto dá para descer pela mesma trilha ou de bondinho, este último após 19h.

Pico do Papagaio

O Pico de Papagaio é a segunda montanha mais alta do Parque Nacional da Tijuca, com 989 metros de altitude, quase 300 metros acima do morro do Corcovado. A caminhada por essa trilha proporciona a vista de quase toda a cidade. Do topo, também é possível ver a Região Serrana do estado. A caminhada começa fácil, por uma trilha plana e bem definida. O trecho segue assim até o colo da montanha, onde a trilha se bifurca e passa a ser bem íngreme, com trechos onde se tem que passar por raízes e pedras, até o topo da montanha, o ponto final da trilha.

Praia do Perigoso

Caminhada que sai da Praia de Guaratiba e vai até as praias do Perigoso e das Conchas. Da praia, é possível subir até o topo da Cabeça da Tartaruga para ver a belíssima vista das duas praias. Nessas praias, é recomendável o mergulho com snorkel – a cem metros da areia, as formações rochosas rendem belas imagens submarinas.

Pedra Bonita

A caminhada até o topo da Pedra Bonita é considerada leve, com duração de 30 minutos, aproximadamente. No cume, há um deslumbrante visual da Zona Sul e da Barra da Tijuca. É uma trilha com subidas, mas relativamente fácil, por isso é possível levar crianças. Próximo ao início dela, fica localizada a rampa de voo de livre, onde é possível observar os praticantes de parapente e asa delta, além de desfrutar de infraestrutura, com banheiro e lanchonete.

Fonte: O Globo Rio

Sobre o autor

Carioca da gema, flamenguista, psicólogo e apaixonado por fotografia. Para ele, qualquer lugar é perfeito com céu azul, sol e uma cerveja gelada. Após dois anos morando em Dublin, é hora de retomar a vida no Brasil e desbravar cada cantinho do nosso país.