Close

Antes de fazer uma viagem costumamos pensar em tudo. Pesamos no clima da região e nas roupas mais adequadas; pensamos no roteiro e a melhor forma de aproveitar o tempo de viagem; pensamos no dinheiro e no quanhdo precisaremos levar de reserva em caso de imprevistos… E no idioma?

Nos dias atuais, onde todo mundo tem ao menos uma noção de inglês, é comum que  pessoas viajem sem saber nada da língua local. Muitos confiam que no país de destino vá ter outras pessoas que também falem um pouco de inglês e que assim possam se virar bem. O problema é que em paises como a França, por exemplo, é considerado falta de educação o visitante nem ao menos tentar falar na língua local.
Por mais que você não tenha tempo para aprender formalmente a língua do lugar para onde você está indo procure na internet por cursos on line e decore pelo menos palavras como “por favor” e “obrigado”. Mesmo que a pronúncia não saia lá essas coisas, isso já demonstra esforço para aprender a língua. Apele para o enrolation, se necessário. Na dúvida, use palavras que são iguais (ou quase) em diversos idiomas como “hotel”, “taxi”, “restaurante”, “museu”…
Falar devagar também ajuda na hora de se comunicar. Só cuidado para não parecer um retardado ou uma criança. Gestos também ajudam nessa hora. Muitos são universais como comida e bebida. Se nada disso der certo… Sorria! Geralmente as pessoas ficam impacientes ao dar informações, então seja o mais simpático que puder, afinal, é você quem está pedindo ajuda.
Em casos de grande desespero, desenhe o que você quer. Sim, vai ser ridículo, mas se isso resolver seu problema, o que tem? Deixe em sua mochila um bloco e uma caneta e apele para eles se necessário.
Achou ruim, saiba que existe um livro para ajudar a galera que viaja sem saber o idioma. O Point It: The Traveler’s Language Kit traz centenas de fotografias de tudo, desde escova de dentes à corrente para neve. Basta abrir o livro no que você quer e apontar para a figura. A ideia até que é interessante, mas hoje com os smartphones nas mão de 9 entre 10 habitantes do planeta, nem é preciso. Busque a imagem do que você quer  no celular e mostre-a ao nativo mais próximo.
Sempre leve com você o seu endereço no país. Assim, para voltar para casa, por exemplo, é só dar o endereço anotado a um taxista ou mostrar a alguém para te indicar o caminho de volta.
Essas dicas não garantem que você não vá se perder ou que alguém não vá te sacanear te mandando para um lugar totalmente diferente do que você queria ir, mas pelo menos vai reduzir as possibilidade de tudo isso acontecer. Na dúvida, estude antes de viajar. É sempre mais garantido.

Sobre o autor

Carioca da gema, flamenguista, psicólogo e apaixonado por fotografia. Para ele, qualquer lugar é perfeito com céu azul, sol e uma cerveja gelada. Após dois anos morando em Dublin, é hora de retomar a vida no Brasil e desbravar cada cantinho do nosso país.